Petrópolis - A cidade de Pedro

Conhecida como Cidade Imperial, a cidade de Petrópolis ganhou fama e prosperou após a construção do Palácio de Verão da família imperial brasileira (1862), mas antes de falar da construção do palácio que hoje abriga o museu imperial, vamos voltar um pouco no tempo e falar do ciclo do ouro no Brasil. Até 1700 todo ouro extraído das Minas Gerais era transportado pelo Caminho Velho da Estada Real até o porto de Paraty onde era enviado para Portugal. Com a fundação da Vila Rica (atual OURO PRETO - Clique aqui para conheça) e todo o potencial da cidade, Artur de Sá governador da capitania do Rio de Janeiro solicitou ao bandeirante Garcia Rodrigues Paes (filho de Fernão Dias) que abrisse um novo caminho para Vila Rica através da Serra dos Órgãos no Rio de Janeiro. Concluída em 1707, a nova "estrada" que ficou conhecido como Caminho Novo foi fundamental no desenvolvimento das cidades por onde ela passava devido ao grande fluxo de tropeiros contratados para transportar o ouro extraído nas minas gerais. Essa prosperidade foi fundamental para a fundação da cidade de Petrópolis.
Petropolis - Rio de Janeiro
Estatua de D. Pedro II no centro de Petropolis
Petrópolis - Rio de Janeiro
Avenida Koeler com Catedral de São Pedro de Alcântara ao fundo.
Na época que a Estrada Real foi construída, D. Pedro I estava à caminho da Vila Rica e hospedou-se na fazenda do Padre Correia que ficava na atual Petrópolis. Amigo de D. Pedro I, Pe. Correia hospedou a família do imperador algumas vezes em sua fazenda até 1824 quando faleceu. O Imperador gostou tanto da região que comprou a fazenda Córrego Seco(próxima a fazenda do Pe. Correia), pertencente ao Sargento-Mór José Vieira Afonso.
Alguns anos depois (1843), D. Pedro II que também apreciava o clima serrano de Petrópolis, ordenou ao Engenheiro alemão Júlio Frederico Koeler que projetasse a construção de um  Palácio nas terras compradas por seu pai e que planejasse uma cidade nas proximidades para abrigar os colonos alemães que estavam chegando ao Brasil. Assim foi fundada Petrópolis - A cidade de Pedro.
Devido as temperaturas mais amenas da região, o Palácio de Petrópolis se tornou o Palácio de Verão onde Imperador e sua família se refugiavam do calor da capital carioca. Assim como o Imperador, a corte brasileira também foi transferida para Petrópolis.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Casa do Barão de Mauá - Morador ilustre de Petrópolis.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Casarão da família Guinle - Outro dos muitos casarões de Petrópolis.

Como chegar

Carro - Saindo de São Paulo (450 km), o viajante deve seguir pela Rod. Dutra (BR 116) até Seropédica onde o viajante deve seguir pela BR-493 e na sequencia acessar a BR-40. Saindo do Rio de Janeiro, basta seguir a BR-101 até Duque de Caxias e acessar a BR-40 que passa por Petrópolis e segue até Belo Horizonte.

Ônibus-  Saindo da Rodoviária do Tiete em São Paulo, a empresa Salutaris faz o trajeto por R$93,22 (8 horas de viagem). Saindo do Rio de Janeiro o percurso é feito em pouco mais de 2 horas e custa R$ 24,49.
Viajando de carro sempre é possível contemplar vistas como a da foto.

O que visitar:

Museu Imperial - Projetado pelo major Koeler no estilo neoclássico (posteriormente modificado Cristóforo Bonini), o Palácio da Concórdia (Nome na época de D. Pedro II) que foi concluído em 1862 era o local preferido do Imperador. Decorado para fazer frente aos palácios Europeus, possui o vestíbulo decorado com mármore carrara e mármore preto trazidos da Bélgica e cômodos revestidos com madeiras nobres como Jacarandá e Cedro. O Belo jardim ao redor do Palácio foi projetado pelo paisagista Frances Jean Baptiste Binot e possui exemplares da flora de todos os continentes.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Museu Imperial - A principal atração de Petrópolis.
Coroa Imperial 2kg de Ouro
Após a proclamação da republica em 1889, o palácio foi transformado em escola e seu mobiliário guardado até 1943 quando um decreto de Getúlio Vargas transformou o antigo palácio em museu.
No interior do museu, alem do mobiliário da família real, o visitante irá ver obras de arte, prataria e as joias do Rei. Dentre as peças mais impressionantes temos o Cetro do imperador com seus 2,5 kg de ouro maciço e a Coroa real com 2 kg de ouro, 639 pedras preciosas e 77 pérolas.
Infelizmente não são permitidas fotos no interior do museu, mas certamente o local é o ponto máximo da visita à Petrópolis. Recomendo deixar a visita para seu ultimo dia na cidade.
O acesso ao jardim do museu é gratuita assim como a visita a um anexo do museu onde há uma exposição de carruagens. A visita ao museu c usta R$ 10,00 e R$ 5,00 meia entrada. Durante o fim de semana há um espetáculo de luz e som que conta um pouco a história do império. O ingresso combinado para o espetáculo de luz e som + a entrada no museu custa R$ 20,00. Para realizar um tour virtual assim como obter maiores informações sobre o museu, clique aqui e acesso o site oficial do museu.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Anexo ao Museu imperial com exposição de Carruagens e da Maria fumaça Leopoldina.
Palácio de Cristal  - Construído em ferro fundido na França a pedido do Conde d'Eu (Marido da Princesa Isabel), o palácio de cristal foi projetado para abrigar exposições de flores, frutos e pássaros. Atualmente a estrutura localizada num parque da cidade é utilizada em eventos e exposições. Entre os eventos mais famosos que ocorrem aqui, temos a festa do colono alemão conhecida como Bauernfest. Como não poderia ser diferente, a festa é regada com muita cerveja....
Petrópolis - Rio de Janeiro
Palácio de Cristal - Atualmente usado para exposições e eventos.
Casa de Santos Dumont - Conhecida como a Encantada o local foi residência de verão de Alberto Santos Dumont - Pai da Aviação. Com ingressos custam R$ 8,00, o visitante poderá ver objetos pessoais do inventor como seu emblemático chapéu e cartas enviada à amigos.
Museu Casa de Santos Dumont - Uma das poucas residencias do inventor.
Visionário como era, apesar dos casarões que rodeiam a casa, Santos Dumont projetou um casa pequena e otimizada, com "somente o necessário". Anexo a casa há um espaço de exposições e um mini cinema contanto a historia de Santos Dumont e da Encantada.  Depois do museu imperial, a Encantada foi o lugar que mais gostei em Petrópolis. 
Interior da casa de Santos - chapéu, cartas, objetos pessoais e cartas escritas pelo pai da aviação.


Catedral de São Pedro de Alcântara - Projetado pelo arquiteto baiano Francisco Caminhoá, a construção da Catedral de São Pedro de Alcântara que possui 3 naves foi iniciada em 1884 e concluída 1901. Em destaque na fachada de estilo Neogótico temos a torre única com 70 mts de altura, o portal da igreja temos uma representação do calvário de Cristo e na parte superior do portal temos estatuas dos quatro evangelistas. 
Petrópolis - Rio de Janeiro
Catedral de São Pedro de Alcântara - estilo Neoclássico inspirado nas catedrais francesas
Logo na entrada da catedral temos duas portas de madeira maciça de 8 metros de altura que pesam 2 tonelada. No interior da catedral alem do imponente órgão de fabricação brasileira, o local é decorado com belos vitrais que datam de 1930. Localizado à direita da entrada, temos o mausoléu imperial que abriga um sarcófago duplo com os restos de Dom Pedro II e da Imperatriz Tereza Cristina alem dos túmulos da Princesa Isabel e seu marido, o Conde D’Eu.
Petrópolis - Rio de Janeiro

Mausoleu imperial e iluminação da Catedral de São Pedro de Alcântara


Palácio Rio Negro - Construído pelo Barão de Rio Negro para ser sua casa de veraneio, o local foi vendido para o governo do Rio de Janeiro por seus herdeiros em 1896. Em 1906 o governo federal assumiu a administração do palácio transformando em residência oficial de verão dos presidentes da Republica. Alem das ferias presidenciais o local serviu de recepção para o casamento do Marechal Hermes da Fonseca. Apesar de ainda servir de residência presidencial o Palácio Rio Negro foi transformado num museu dedicado à memória da República. 
Petrópolis - Rio de Janeiro
Fachada do Palácio Rio Negro - Residencia de Verão do Presidente da Republica.
Quando a capital do Brasil foi transferida para Brasília, o Palácio Rio Negro quase não recebeu  a visita de presidentes até 1990 quando Fernando Henrique Cardoso voltou a utilizar o local. 
A entrada no Palácio é gratuita e oferece aos visitantes uma exposição de mobiliário.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Escadaria no interior do Palácio Rio Negro - Local dedicado a memoria dos Presidentes.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Sala de Jantar do Palácio Rio Negro.

Palácio Quitandinha - Idealizado pelo Empresário Joaquim Rolla, o Palácio Quitandinha foi construído em 1944 para ser o maior e mais luxuoso Cassino da America latina. Construído o estilo Normando-francês, o local de 50 mil metros quadrados atualmente é administrado pelo SESC que promove visitas e atrações culturais no local. As visitas podem ser feitas de maneira independente (gratuita) ou uma visita guiada (extremamente recomendado) que custará R$ 10,00. Mais informações sobre o local clique aqui.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Palácio Quitandinha - Antigo Casino de Petrópolis.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Sala dedicada a Flora e fauna do Brasil
O local foi decorado pela Americana Dorothy Draper que projetou cada detalhe do cassino. Dentro os diversos destaques temos o Salão Mauá com uma cúpula de 30 metros e inteiramente revestido de cortiça que faz com que o som seja repetido 14 vezes (reflexão no som), o lago com o formatado do mapa do Brasil construído com areia da praia de Copacabana, a galeria das estrelas com seus lustres em formato de estrela fabricados pela joalheira Tiffany e o jardim de inverno todo me mármore carrara com uma enorme gaiola no centro onde flores e aves como araras de tucanos eram expostos aos visitantes.

Petrópolis - Rio de Janeiro
Salão Mauá - Antiga sala do Casino no Palácio da Quitandinha
Petrópolis -  Rio de Janeiro
Galeria das estrelas - Lustres fabricados pela Tiffany.

Casa do Colono - Construída 1847 pelo ex-militar do Exército Imperial Brasileiro, Johan Gottlieb Kaiser, a casa do Colono é um pequeno museu que tem como objetivo mostrar como era a vida dos primeiros colonizadores alemães de Petrópolis. Com paredes de pau-a-pique e teto de zinco, o acervo possui utensílios de uso doméstico, fotografias, quadros e objetos de uso pessoal. A entrada no museu é gratuita. Para maiores informações clique aqui.
Petrópolis -  Rio de Janeiro
Casa do Colono - um resgate do modo de vida dos primeiros colonos de Petropolis
Petrópolis -  Rio de Janeiro
Ferramentas usadas pelos colonos.
Palácio Amarelo - Construído a pedido do Conselheiro José Carlos Mayrink a residencia permaneceu em posse da família até 1894 quando foi vendida para a Câmara municipal de Petrópolis. Decorado com  bronze, vidro inglês e madeiras de lei é possível visitar o plenário da Câmara decorado em madeira no estilo rococó. A visitação é gratuita.
Petrópolis - Rio de Janeir
Palácio Amarelo - Atual Câmara municipal de Petrópolis. 
Plenário da Câmara de Petrópolis. 

Cervejaria Bohemia- Devido a colonização alemã na região de Petrópolis varias famílias começaram a produzir de maneira artesanal sua própria cerveja, mas devido a dificuldade em importar materiais da Europa as cervejas começaram a ser produzidas com milho. Em 1853, Henrique Kremer decide criar uma cervejaria para fornecer cerveja para Petrópolis e a cidade do Rio de Janeiro. Para isso Kremer compra a então Imperial Fábrica de Cerveja  e muda seu nome para Cervejaria Bohemia que produzia 6 mil garrafas/mês. Anos depois, Carolina Kremer (Esposa do neto de Henrique Kremer) assume a cervejaria e junto com o cervejeiro Alberto Duringer expandiu o negocio a nível nacional. Atualmente o rotulo da cerveja Bohemia homenageia Carolina Kremer.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Fachada da Cervejaria Bohemia - Visita obrigatória em Petropolis
Petrópolis - Rio de Janeiro
Evolução dos rótulos da cerveja  Bohemia - Sempre homenageando Carolina Kremer.
A primeira fabrica da Bohemia hoje alem da produção de cerveja abriga um restaurante e um museu muito interessante. A visita do museu que dura aproximadamente 2h30 começa com um passeio interativo que conta a historia da cerveja. Criado de forma cronológica, o museu mostra relatos da fabricação de cerveja por Sumérios (5000 a.C) passando pela fabricação no Egito, as cervejas fabricadas por monge belgas até a industrialização da bebida. No final dessa primeira parte da visita é possível conhecer a historia da cerveja no Brasil que apresenta ao visitante todos os rótulos já fabricados em nosso país. Também é possível conhecer as principais cervejas do mundo, entender seu processo de fabricação e suas harmonizações.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Viagem na historia da cerveja - Tour interativo Cervejaria Bohemia.
Na segunda parte do passeio, os visitantes irão conhecer mais sobre a Cervejaria Bohemia. Neste tour guiado o visitante passa pela sala do cervejeiro que conta a histária da cervejaria, conhece cada elemento usado na fabricação da Bohemia e visita a antiga fabrica. Neste momento o guia explica todo o processo de fabricação da Bohemia. Finalizado o passeio, todos visitantes fazem uma degustação da cerveja (s). Numa primeira degustação foi oferecida cerveja Bohemia Pilsen e num segundo momento as novas cervejas fabricadas pela cervejaria. O passeio pela cervejaria custa R$ 19,00 para maiores informações sobre o local, clique aqui e acesse o site da cervejaria.  
Petrópolis - Rio de Janeiro
Antigos tanques de fermentação da cervejaria Bohemia.
Petrópolis - Rio de Janeiro
Após mais de2 horas de visita, momento mais que esperado!!!!!!

Usuários de Yahoo e netvibe, assine nosso FEED na barra lateral e fique sabendo de todas nossas atualizações. Semanalmente temos novidades!!!!!


Duvidas são bem vindas, postando uma duvida em nosso blog você esta ajudando outros viajantes como você....


Curtiu nossa postagem ou as fotos? Curta nossa pagina no facebook abaixo:

CONFIRA TAMBEM....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Passeie pelo mapa e confira todas nossas postagens clicando nos marcadores...